Astronomia

Residências

Katarina Petrović

Julho 2023
Serra Estrela (PT)
Fajão, Serra do Açor (PT)

Setembro 2023
Alpes de Haute Provence (FR)

organização:
Associação Aldeias do Xisto
Associação Geopark Estrela
CAIRN Centre d’Art

 

Residência Artística nos Alpes de Haute Provence, Serra Estrela e Fajão (Serra do Açor). Verão de 2023 e Verão de 2024. (uma proposta da Associação Aldeias do Xisto, da Associação Geopark Estrela e do CAIRN Centre d’Art)

A residência artística “Astronomia” colocou à disposição de Katarina Petrović três centros de observação astronómica em montanha (observatórios de Porto da Balsa e de Travancinha, em Portugal, e Observatoire de Haute-Provence, em França). Há muito que Katarina questiona o trabalho de astrofísicos sob um ponto de vista artístico e filosófico. “Astronomia” decorreu na Aldeia do Xisto de Fajão e no Estrela Geopark Mundial da UNESCO em julho 2023 e nos Alpes de Haute-Provence, em França, em setembro de 2023. Esta Ação em dois momentos, entre três parceiros, une três montanhas europeias, a Serra da Estrela, Serra do Açor e os Alpes franceses. Experimentar a nossa relação com a paisagem, entre terra e céu, remeter para outras dimensões, está no âmago do PES_CE.

Katarina Petrović explora diferentes locais. Astronomia e montanhas serão seu fio condutor. Esta é uma residência em dois países (FR e PT), quatro locais, um total de 2 meses de trabalho de campo, um período de 2 anos (2024 e 2025). A obra de arte produzida integrará vários eventos: as exposições planeadas para Castelo Branco e/ou Malpartida de Cáceres. Em Portugal, a residência terminou com uma caminhada guiada aberta ao público para descobrir os Pirilampos do Rossim (Serra da Estrela), uma obra de arte de Erik Samakh (PES2017).

Os resultados serão apresentados no seminário “Arte, Paisagem e Turismo Sustentável” em Castelo Branco (PT), de 19 a 22 de julho de 2024, e NO PAISAGEM, AGRICULTURA E BIODIVERSIDADE, Campagne Première em Arles (FR) em setembro de 2024 e Seminário Final em Malpartida de Cáceres (ES) na Primavera de 2025.

Universalmente, as montanhas possuem um caráter único frequentemente considerado sagrado, seja pela dificuldade de acesso, pela versatilidade de sua natureza ou pela proximidade com os céus. É de seus cumes que estamos fisicamente mais aptos a dar o passo necessário para sentir nosso lugar neste mundo. Sob nossos olhos, relevos deixados por forças tectónicas revelam os restos de mares há muito desaparecidos; linhas entre a humanidade e seu ambiente são desenhadas; acima de nossas cabeças, luzes fósseis viajam de estrelas distantes, nos iluminando entre outros fenómenos não perceptíveis.

Guiados pela necessidade científica e pela crescente atratividade do turismo astronómico, a construção de observatórios estelares conecta tanto quanto revela as paisagens que domina. Entre terra e céu, este equipamento facilita encontros. É uma zona liminar entre dois horizontes temporais: um rebanho de ovelhas de um pastor passeia por um trilho pisado por séculos de antigas migrações sazonais enquanto tecnologias de ponta estudam as densidades de exoplanetas localizados a anos-luz de distância de nós. Portanto, as montanhas foram e continuam sendo locais de inspiração incrivelmente poderosos onde ciência, espiritualidade e filosofia se encontram. E é lá que encontramos artistas. As instituições do Projeto Entre Serras aproveitam esta oportunidade para estabelecer novas relações entre instituições de diferentes países europeus.

Nos próximos 3 anos, a artista sérvia Katarina Petrovic, residente em Haia (NDL), foi convidada. O seu trabalho, que já envolveu a expertise de astrofísicos (e teve uma exposição no observatório de Belgrado no verão de 2023), questiona nossos vínculos com ciência, arte, filosofia e nossa relação com o mundo.

A artista Katarina Petrović foi convidada para o próximo período de trabalho. Com base em Haia, Holanda, ela trabalha no domínio da arte-ciência, frequentemente colaborando de perto com cientistas e astrofísicos. Em junho deste ano, ela lançou uma exposição individual no Centro Cultural de Belgrado e um programa paralelo no Observatório Astronômico de Belgrado, onde apresentou as mais recentes pesquisas sobre o Disco de Airy – fenômeno de difração de luz frequentemente usado em observações astronómicas. Ela continuará esta pesquisa durante a residência Entre Serras – Astronomia.

Katarina Petrović é uma artista sérvio-holandesa que cria obras baseadas em processos que exploram a relação entre linguagem e fenômenos naturais. Interligando arte, ciência, humanidades e tecnologia, sua prática se concentra em processos criativos – desde cosmogonia, cognição e criação de significado até física do som, luz e vácuo. Katarina possui um diploma de MMus da ArtScience Interfaculty, Royal Conservatoire e Royal Academy of Arts, The Hague, e um MFA da Academy of Fine Arts, Belgrado. Em 2019, ela foi a vencedora do Prêmio Jovem Artista Visual para a Sérvia (Prêmio Mangelos). Katarina é membro e presidente do conselho do espaço de artistas Trixie e pesquisadora afiliada ao Centro de Pesquisa Transdisciplinar Leo Apostel (VUB) em Bruxelas, onde iniciou um grupo de pesquisa em Arte-Ciência. Katarina frequentemente trabalha como palestrante convidada e atualmente leciona na ArtScience Interfaculty em Haia e na Escola de Pensamento de Pós-Graduação (VUB) em Bruxelas.

Katarina Petrović https://www.katarinapetrovic.net/